Ferramentas do usuário

Ferramentas do site


Este projeto só é possível com o apoio e colaboração dos próprios visitantes.

E não precisa ser contribuição financeira! Eu não vou bloquear nenhum conteúdo, mas...
Se o conteúdo te ajudar de alguma forma, considere retribuir desativando o bloqueador de propagandas.

👍
analise_tecnica:intermediario:teoria_de_dow

Teoria Dow

O que é a Teoria Dow?

A Teoria de Dow é uma teoria financeira que diz que o mercado está em uma tendência de alta se uma de suas médias (por exemplo, industriais ou transporte) avançam acima de uma alta anterior importante e for acompanhada por um avanço semelhante em outra média. Por exemplo, se o Dow Jones Industrial Average (DJIA) subir para uma alta intermediária, espera-se que o Dow Jones Transportation Average (DJTA) siga o exemplo dentro de um período de tempo razoável.

Destaques

  • A Teoria Dow é um quadro técnico que prevê que o mercado está em uma tendência de alta se uma de suas médias avançam acima de uma alta importante anterior, acompanhada por um avanço semelhante na outra média.
  • A teoria baseia-se na noção de que o mercado desconta tudo de forma consistente com a hipótese eficiente dos mercados.
  • Nesse paradigma, diferentes índices de mercado devem confirmar uns aos outros em termos de ação de preços e padrões de volume até que as tendências se revertam.

Entendendo a Teoria Dow

A teoria do Dow é uma abordagem de negociação desenvolvida por Charles H. Dow que, com Edward Jones e Charles Bergstresser, fundou a Dow Jones & Company, Inc. e desenvolveu o Dow Jones Industrial Average em 1896. Dow publicou a teoria em uma série de editoriais no Wall Street Journal, que ele co-fundou.

Charles Dow morreu em 1902, e devido à sua morte, ele nunca publicou sua teoria completa sobre os mercados, mas vários seguidores e associados publicaram trabalhos que se expandiram nos editoriais.

Dow acreditava que o mercado de ações como um todo é uma medida confiável das condições gerais dos negócios dentro da economia e que, analisando o mercado global, pode-se avaliar com precisão essas condições e identificar a direção das principais tendências do mercado e a direção provável das ações individuais.

A teoria foi desenvolvida em seus mais de 100 anos de história, incluindo contribuições de William Hamilton na década de 1920, Robert Rhea na década de 1930, e E. George Shaefer e Richard Russell na década de 1960. Aspectos da teoria perderam relevância, por exemplo, sua ênfase no setor de transporte, ou ferrovias, mas a abordagem de Dow ainda forma a base da análise técnica moderna.


Como funciona a Teoria Dow

Há seis componentes principais na teoria Dow.

1. O Mercado Desconta Tudo

A Teoria Dow opera com base na hipótese eficiente dos mercados (Efficient Markets Hypothesis - EMH), que afirma que os preços dos ativos incorporam todas as informações disponíveis. Em outras palavras, essa abordagem é a antítese da economia comportamental.

Potencial de ganhos, vantagem competitiva, competência de gestão — todos esses fatores e muito outros já estão precificados no mercado, mesmo que nem todo indivíduo saiba todos ou qualquer um desses detalhes. Em leituras mais rigorosas dessa teoria, até mesmo eventos futuros já estão descontados na forma de risco.

2. Existem três tipos primários de tendências de mercado

O mercado se move em tendências primárias, que duram um ano ou mais, conhecidos como mercado de touros (bull market) ou mercado de ursos (bear market). Dentro dessas tendências mais amplas, existem tendências secundárias, e muitas vezes trabalhando contra a tendência primária, como um pullback dentro de um mercado de touros ou um rali dentro de um mercado de urso; essas tendências secundárias duram de três semanas a três meses. Finalmente, há pequenas tendências que duram menos de três semanas, que são em grande parte apenas ruído.

3. Tendências Primárias têm 3 fases

Uma tendência primária passará por três fases, de acordo com a Teoria Dow. Em um mercado de touros, estas são:

  • A fase de acumulação
  • A fase de participação pública e
  • A fase de excesso.

Em um mercado de ursos, estas são:

  • A fase de distribuição
  • A fase de participação pública e
  • A fase de pânico (ou desespero).

4. Índices devem confirmar uns aos outros

Para que uma tendência seja estabelecida, os índices postulados da Dow ou as médias de mercado devem confirmar-se mutuamente. Isso significa que os sinais que ocorrem em um índice devem corresponder com os sinais do outro. Se um índice, como o Dow Jones Industrial Average, está confirmando uma nova tendência de alta primária, mas outro índice permanece em uma tendência primária de queda, os investidores não devem assumir que uma nova tendência começou.

5. O Volume deve confirmar a tendência

O volume deve aumentar se o preço estiver se movendo na direção da tendência primária e diminuir se estiver se movendo contra ele. O baixo volume sinaliza uma fraqueza na tendência. Por exemplo, em um mercado de alta, o volume deve aumentar à medida que o preço está subindo, e cair durante os pullbacks secundários. Se neste exemplo o volume aumentar durante um pullback, pode ser um sinal de que a tendência está se invertendo à medida que mais participantes do mercado se tornam de baixa.

6. As tendências persistem até que ocorra uma reversão clara

Reversões nas tendências primárias podem ser confundidas com tendências secundárias. É difícil determinar se uma ascensão em um mercado de urso é uma reversão ou um rali de curta duração a ser seguido por mínimas ainda mais baixas, e a Teoria Dow defende cautela, insistindo que uma possível reversão seja confirmada.


Considerações Especiais

Aqui estão alguns pontos adicionais a considerar sobre a Teoria Dow.

Preços de fechamento e faixas de linha

Charles Dow usava apenas os preços de fechamento e não estava preocupado com os movimentos intradiários do índice. Para formar um sinal de tendência, o preço de fechamento tem que sinalizar a tendência, não um movimento intradiário de preços.

Outra característica na Teoria Dow é a ideia de faixas de linha, também referidas como faixas de negociação em outras áreas de análise técnica. Esses períodos de movimentos de preços laterais (ou horizontais) são vistos como um período de consolidação, e os investidores devem esperar que o movimento de preços quebre a linha de tendência antes de chegar a uma conclusão sobre para que lado o mercado está indo. Por exemplo, se o preço se mover acima da linha, é provável que o mercado vá subir.

Sinais e Identificação de Tendências

Um aspecto difícil da implementação da Teoria Dow é a identificação precisa das reversões de tendências. Lembre-se, um seguidor da Teoria Dow negocia com a direção geral do mercado, por isso é vital que sejam identificados os pontos em que essa direção muda.

Uma das principais técnicas utilizadas para identificar reversões de tendências na Teoria Dow é a análise de topos e fundos. Um topo é definido como o preço mais alto de um movimento do mercado, enquanto um fundo é visto como o menor preço de um movimento do mercado. Note que a Teoria da Dow assume que o mercado não se move em linha reta, mas se sim se move partindo de altas (topos) para baixas (fundos), com os movimentos gerais do mercado em uma direção.

Uma tendência de alta na Teoria Dow é uma série de topos sucessivamente mais altos e fundos mais altos.

Uma tendência de baixa é uma série de topos sucessivamente mais baixos e fundos mais baixos.

O sexto princípio da Teoria Dow afirma que uma tendência permanece em vigor até que haja um sinal claro de que a tendência se inverteu. Assim como a primeira lei de newton, um objeto em movimento tende a se mover em uma única direção até que uma força interrompa esse movimento. Da mesma forma, o mercado continuará se movendo em uma direção primária até que uma força, como uma mudança nas condições de negócios, seja forte o suficiente para mudar a direção desse movimento primário.

Reversões

Uma reversão da tendência primária é sinalizada quando o mercado é incapaz de criar outro topo sucessivo e fundo na direção da tendência primária.

Para uma tendência de alta, uma reversão seria sinalizada por:

  • Incapacidade de atingir um novo topo seguida pela,
  • Incapacidade de atingir um fundo mais alto.

Nesta situação, o mercado passou de um período de topos e fundos sucessivamente mais altos para topos e fundos sucessivamente mais baixos, que são os componentes de uma tendência primária de baixa.

Para uma tendência de baixa, uma reversão seria sinalizada por:

  • Incapacidade de atingir um novo fundo seguida pela,
  • Incapacidade de atingir um topo mais baixo.

A reversão de uma tendência primária de baixa ocorre quando o mercado não consegue cair mais para topos e fundos mais baixos. Isso acontece quando o mercado estabelece um topo superior ao topo anterior, seguido por um fundo superior ao fundo anterior, que são os componentes de uma tendência de alta.

analise_tecnica/intermediario/teoria_de_dow.txt · Última modificação: 10/04/2022 10:28 por schillerapp